Isolado mas com vontade de ajudar?

A plataforma "COVID-19 Voluntariado" agrega iniciativas de apoio por todo o país para quem quer ser solidário ou precisa de ajuda nesta fase de pandemia. "Há mesmo muita gente a precisar de apoio nas mais diversas vertentes", alerta Carla Ventura, responsável pelo projeto.


Se está a cumprir o isolamento social proposto pela Direção-geral da Saúde (DGS), já se pode considerar um agente de Saúde Pública. Se tem vontade de fazer mais, pode tornar-se um soldado na luta contra os efeitos do covid19: Clique aqui e conheça o projeto COVID-19 Voluntariado.

"Mesmo estando em isolamento é possível ajudar. Há iniciativas que prevêem contactos diários com idosos que estão isolados. Ou seja, aparentemente não podendo fazer nada, porque se está em casa, é possível, através da palavra, dar apoio emocional a quem mais precisa", exemplifica Carla Ventura, vice-presidente da Cooperativa António Sérgio para a Economia Social (CASES), organização responsável pela iniciativa.

Num momento em que o país e o mundo estão mergulhados na batalha contra a pandemia provocada pelo surto de COVID-19, Carla Ventura frisa que "é fulcral ser solidário, porque há mesmo muita gente a precisar de apoio nas mais diversas vertentes". "Este portal está a fazer o mapeamento das iniciativas nacionais e locais. Temos um mapa, dividido por distritos e regiões autónomas, e as pessoas podem perceber, clicando na sua área geográfica, como e quem é que podem ajudar", descreve a mentora do projeto.


"Em todas as iniciativas mapeadas, disponibilizamos os contactos, e os voluntários podem ver que atividades melhor se ajustam aos seus perfis e disponibilidade", refere ainda.

"Mas este mapa serve também para quem precisa de apoio, ou seja, as pessoas podem tomar conhecimento das iniciativas locais que podem dar resposta às suas necessidades", nota a responsável.


Portugal está em estado de emergência desde 18 de março e assim permanecerá, pelo menos, até 17 de abril.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da COVID-19, já infetou mais 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 60 mil.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, atingindo já 190 países, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.



Fonte: Sapo LifeStyle






2 visualizações

© 2018 NB Intercâmbio Portugal

geral@nbintercambio.pt       Av. Fontes Pereira de Melo, 35      1050-118 Lisboa

  • Facebook ícone social
  • YouTube
  • LinkedIn ícone social
  • Instagram